Projeto de recuperação de nascentes começa na Zona Rural

Enviar no WhatsApp
Projeto será desenvolvido ao longo dos rios Tamarupá e Pirarara. Entre os serviços realizados estão o de desassoreamento.

Nascente encontrada no bairro Fortaleza, em Cacoal (Foto: Magda Oliveira/G1)Um projeto que prevê o desassoreamento e preservação de nascentes começou a ser executado na zona rural de Cacoal (RO), município distante cerca de 480 quilômetros de Porto Velho. Batizado de "Nascer das Águas", a ação será desenvolvida nas minas que ficam ao longo dos rios Tamarupá e Pirarara. Segundo um levantamento da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma), há, em média, 3.700 nascentes ao longo dos rios.

Para o vice-presidente do Conselho Municipal de Agricultura, Vilmar Kemper, esse é um projeto que visa conscientizar moradores e produtores rurais sobre importância da preservação. "Queremos alertar sobre a necessidade de cada um fazer sua parte e não esperar só pelo poder público. Com esta iniciativa, cada um poderá desenvolver a ação em sua propriedade”, explica.

O trabalho de preservação das nascentes começou na propriedade do agricultor Alcides Paris. As minas trabalhadas na propriedade vão servir de unidade demonstrativa.

Apesar de ser um dos pioneiros aderirem o projeto no município, ele reconhece que a preocupação com as nascentes é recente. "Esse cuidado começou de uns três anos para cá. Vendo as nascestes desbarrancando e a água perdendo a qualidade decidimos então iniciar esse trabalho de preservação", conta o agricultor.

Entre os serviços realizados nas nascentes estão o desassoreamento e a escavação de curvas de nível. "Primeiro trabalho a ser feito é a construção de cercas para evitar que o gado pise nas minas. Outro passo importante é a escavação de curva de nível que impedirá as enxurradas de correr para dentro das nascentes", explica vice-presidente.

Conforme o engenheiro agrônomo da Semma, Sidcley Sotele, outro serviço executado pelo projeto é o reflorestamento no entorno das nascentes, a conhecida mata ciliar. "Se não tiver nenhuma espécie nativa protegendo, todo material de lixo acaba voltando para dentro da mina, reduzindo assim sua vida útil para menos da metade do que aconteceria pelo processo natural", alerta.

Um levantamento da Semma apontou cerca de 3.700 nascentes ao longo dos rios Pirarara e Tamarupá. Destas, apenas 40% estão preservadas. De acordo com a secretaria, o próximo passo é oferecer assistência aos produtores rurais no serviço de recuperação.

Rogério Aderbal
Do G1 RO
    Opiniões
    Opiniões

0 Comentários:

Postar um comentário

Não aceitamos:

- Agressões e insultos contra autores, outros comentaristas e personagens citados nas colunas e matérias
- Declarações sexistas, xenófobas ou racistas
- Informações falsas
- Propaganda comercial
- Evite digitar em Maiúsculo

 
Copyright © 2016. Cacoal NEWS Todos os Direitos Reservados
Du Pessoa© Web Sites (69) 9366 7066 WhatsApp | www.dupessoa.com.br