Vice Prefeito de Cacoal Marcon diz que foi expulso do Gabinete por Prefeito de Cacoal

Enviar no WhatsApp
Vereadores do partido de vice votaram pelo afastamento do prefeito. Prefeito nega represália e diz que sala será utilizada por técnicos.

O vice-prefeito de Cacoal (RO), Acelino Marcon (PDT), teve que desocupar o gabinete na prefeitura do município. Ele alega ter sido expulso da sala pelo prefeito, Francesco Vialetto (PT), após dois vereadores de seu partido votarem a favor do relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), que investigava denúncias de um suposto esquema de fraudes na área da saúde. O chefe do executivo nega a acusação.

Vice-prefeito Acelino Marcon afirma ter recebido represália (Foto: Rogério Aderbal/G1)

De acordo com Marcon, na manhã de terça-feira (14) ele foi informado que uma assessora do prefeito havia pedido a desocupação da sala. "Meu assessor me ligou e disse que a chefe de gabinete havia pedido que nossa sala fosse desocupada, pois irão utilizar para outros fins. Eu disse a ele que só sairia mediante uma solicitação por escrito assinada pelo prefeito, o que foi feito no começo da tarde", afirma Acelino.

Para o vice-prefeito, a ação foi planejada como forma de represália, pelo fato dos dois vereadores do PDT terem votado a favor do relatório. "Não vejo outra explicação para atitude. Se eles vão usar a sala realmente, deveriam ter me comunicado antes. Sinceramente, os motivos apresentados não me convenceram", explica.

Prefeito de Cacoal Francisco Vialetto (Foto: Reprodução/ TV Cacoal)O prefeito Francesco Vialetto negou a acusação de revanche e esclareceu que a sala será utilizada para análise de projetos e documentos. "Não tem revanche alguma. O fato é que ele quase nunca usa a sala para o exercício de suas funções e, por estarmos com poucos espaços disponíveis na prefeitura, decidimos que o local deveria ser utilizado pelos técnicos. Quando ele precisar de um espaço pode usar o meu gabinete", relata.

Votação da CPI

Por seis votos a seis, a Câmara de Vereadores de Cacoal arquivou, na noite da última segunda-feira (13), o relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI). As investigações apuraram denúncias de um suposto esquema de fraudes na área da saúde e pretendia afastar Vialetto.

Para que o relatório fosse aprovado, a câmara iria precisar de dois terços dos votos, um total de oito assinaturas. Durante a sessão, pizzas foram servidas em protesto ao arquivamento.

Rogério Aderbal
Do G1 RO

    Opiniões
    Opiniões

0 Comentários:

Postar um comentário

Não aceitamos:

- Agressões e insultos contra autores, outros comentaristas e personagens citados nas colunas e matérias
- Declarações sexistas, xenófobas ou racistas
- Informações falsas
- Propaganda comercial
- Evite digitar em Maiúsculo

 
Copyright © 2016. Cacoal NEWS Todos os Direitos Reservados
Du Pessoa© Web Sites (69) 9366 7066 WhatsApp | www.dupessoa.com.br