Menu Right

Top Social Icons

Publicidade
Publicidade
73 9 8888 1488
WhatsApp
WhatsApp

13/05/2015

MPF pede que Polícia Federal retire garimpeiros da terra indígena Cinta Larga

MPF diz que extração ilegal de diamantes ainda é forte na região da reserva indígena do Rio Roosevelt (Fábio Souza)

Cerca de 500 garimpeiros, 250 maquinários de mineração (motor e resumidora) e 16 escavadeiras estão em atividade no garimpo ilegal de diamantes na terra indígena do povo Cinta Larga, em Espigão D’Oeste (RO). Para frear esta situação de ilegalidades, o Ministério Público Federal (MPF) recomendou à Polícia Federal (PF) que retire e prenda todos os garimpeiros e retire os maquinários e veículos que estejam sendo usados na prática da garimpagem ilegal.

Garimpo-Cinta-Larga-Foto-Fabio-Souza-8-copy(1)

Segundo o procurador da República Reginaldo Trindade, “os índios, uma vez mais, manifestaram interesse no fechamento do garimpo, desagradando, enormemente, a multidão de garimpeiros. Há relatos de que na terra indígena está ocorrendo disseminação e consumo de bebidas alcoólicas, inclusive por menores de idade, prostituição, desordens e ameaças à integridade física dos indígenas. Há a iminência de confronto, pois os garimpeiros portam armas de fogo e fazem ameaças aos indígenas”.

Os índios estão apreensivos, uma vez que alguns garimpeiros estão alardeando a recusa em sair, “sob a alegação de que o Estado não tem demonstrado possuir meios legais para exigir a retirada e coibir o retorno ou entrada de invasores”.

Reginaldo Trindade afirma que “a iminência do confronto, com possibilidade real de perda de vidas humanas, deve impor que a Polícia Federal vença suas dificuldades burocráticas e administrativas, para agir à altura do que a sociedade espera e como lhe manda o ordenamento jurídico pátrio”. O diretor da PF tem prazo de três dias para informar as medidas adotadas em razão da recomendação do MPF.
Copyright © 2016 Cacoal NEWS | Du Pessoa Serviços Digitais.
CACOAL_NEWS