PT defende Padre Franco e critica investigação por vereadores em Nota Oficial

Enviar no WhatsApp
Comissão Processante da Câmara de Vereadores de Cacoal é mera disputa política, diz o partido em sua nota.

Em nota à imprensa, o Partido dos Trabalhadores saiu em defesa do prefeito Padre Vealetto, de Cacoal, cuja secretária chefe de gabinete, Maria Ivanir, que mandava na Prefeitura, foi presa junto com outras pessoas, durante a Operação Detalhe, do Ministério Público e Polícia Civil, acusada de corrupção.


O PT, além de defender Padre Franco, flagrado em gravações comprometedoras com Maria Ivani, ataca os vereadores da Comissão processante que investigará o prefeito petista, principalmente a vereadora Maria Simões, integrante do partido e uma das principais responsáveis pelas investigações que resultaram na prisão de Maria Ivanir e de outros envolvidos no esquema de corrupção na Prefeitura.

Leia a íntegra da nota do PT:

NOTA PÚBLICA DO PT: Comissão Processante da Câmara de Vereadores de Cacoal é mera disputa política

"Não temo qualquer indicio da participação do Prefeito Franco nos crimes investigados": declaração do delegado da Policia Civil Arismar Araújo, responsável pela Operação "Detalhe", em entrevista concedida no dia 17.05.2015. 

O Partido dos Trabalhadores (PT) vem a público manifestar sua estranheza com a decisão insólita da Câmara de Vereadores, tomada em 15.05.2015, de abrir uma Comissão Processante contra o Prefeito Padre Franco, com o objetivo de supostamente investigar eventual participação daquele gestor público, conforme ponderações a seguir: 

1) "Não temo qualquer indicio da participação do Prefeito Franco nos crimes investigados". Essa declaração do delegado por si só já demonstra o total despropósito da tal Comissão Processante; 

2) Qual o objetivo dessa Comissão Processante? Segundo os vereadores, seria investigar os fatos da Operação "Detalhe". Entretanto, tais fatos já se encontram sobejamente investigados, tendo resultado em prisões e indiciamentos de vários envolvidos, incluindo vereadores que votaram a favor dessa Comissão contra o Prefeito; 

3) Aquela Câmara não é exemplo e nem tem condições de "atirar a primeira pedra"; não bastasse vereadores envolvidos na própria Operação "Detalhe", a autora do pedido responde inquérito por falsidade ideológica, aberto pela Polícia Civil, atendendo requerimento do Ministério Público, conforme expediente enviado à Câmara de Vereadores pela delegada Fabiana May Brandani em 15.05.2015; 

3.1) Sendo que a autora do pedido da Comissão Processante deve muitos esclarecimentos, inclusive à população, sobre contratos da "Nossa Clínica" (Quieza & Simões Ltda), que está em nome de seu marido e irmão, com o município de Rondolândia-MT, como um no valor de R$ 521.880,00, para fazer exames de alta complexidade totalmente incompatíveis com aquela pequena clínica famíliar - http://www.jusbrasil.com.br/diarios/81834412/amm-mt-10-07-2014-pg-136 

4) Por outro lado, não vereadores. Não haverá conflitos de interesses, com vereadores investigando a si mesmos? Nesta segunda-feira (15), por exemplo, foi vexatória a situação de um vereador que está envolvido na Operação "Detalhe" e foi sorteado para compor a Comissão Processante: foi sonoramente vaiado e teve que abrir mão da indicação. 
Público Estadual e da Justiça que brilhantemente investigaram, identificaram e indiciaram os envolvidos na Operação "Detalhe" e repudia essa Comissão Processante que tenta antecipar as eleições de 2016, caracterizada que está em mera disputa política. 

Porto Velho-RO, 17 de junho de 2015.

PARTIDO DOS TRABALHADORES

Fonte: Tudo Rondonia

    Opiniões
    Opiniões

0 Comentários:

Postar um comentário

Não aceitamos:

- Agressões e insultos contra autores, outros comentaristas e personagens citados nas colunas e matérias
- Declarações sexistas, xenófobas ou racistas
- Informações falsas
- Propaganda comercial
- Evite digitar em Maiúsculo

 
Copyright © 2016. Cacoal NEWS Todos os Direitos Reservados
Du Pessoa© Web Sites (69) 9366 7066 WhatsApp | www.dupessoa.com.br