Criminosos atiram contra residências de juiz e promotor de Justiça de Rondônia

Enviar no WhatsApp
A ação teve como objetivo atingir as casas do juiz de Direito Flávio Henrique de Melo e do promotor de Justiça Roosevelt Queiroz Costa Júnior. O episódio ocorreu na madrugada desta terça-feira (11) durante o “apagão” ainda não explicado pela Eletrobras.

 

Porto Velho, RO – Não há limite para a ousadia dos criminosos. Em Rondônia, especificamente no Município de Jaru, as residências de um juiz de Direito e de um promotor de Justiça foram atacadas a tiros durante o “apagão” – ainda não justificado pela Eletrobras – ocorrido na madrugada desta terça-feira (11).

O magistrado Flávio Henrique de Melo e o promotor Roosevelt Queiroz Costa Júnior foram as vítimas do episódio que deixou a cidade ainda mais amedrontada com a ausência de segurança pública.

De acordo com informações publicadas num site local de Jaru, Flávio Melo e sua família estavam no imóvel, mas ninguém foi ferido; já o promotor e sua prole não estavam na cidade durante o ataque. 

O saldo da incursão criminosa totalizou dez disparos de arma de fogo; cinco em cada domicílio. Informações dão conta de que as casas atacadas ficam próximas uma da outra. 

Nos disparos efetuados contra a casa do Juiz Flávio Henrique de Melo, os projéteis transfixaram o portão e a lataria de sua caminhonete que estava na garagem. Na residência do promotor, Roosevelt Queiroz Costa Júnior, as balas atingiram uma mureta de concreto e também perfuraram o portão de lata.

Segundo o site de notícias de Jaru, o juiz Flávio Henrique de Melo contou que havia acabado de se deitar quando ouviu os disparos e, após alguns segundos, teve certeza que o alvo era a sua moradia, principalmente ao soar o alarme de sua caminhonete.

A Policia Militar foi acionada e deslocou seu efetivo para o local, iniciando buscas no intuito de capturar os autores dos atentados. De acordo com o comandante da Polícia Militar, Major Júlio Iago, o horário associado à falta de energia elétrica, favoreceram a eliminação de pistas, mas informou que a polícia está empenhada na captura dos criminosos.

O delegado de Polícia Civil Salomão de Matos, que reside bem próximo às residências vítimas da ação, relatou também ter ouvidos os disparos e disse ser muito cedo para divulgar uma linha de investigação.

A perícia da Polícia Civil esteve no local e colheu provas e material para análise, o qual dará início ao inquérito de investigação do crime.

Com informações Jaru Online

NOTA PÚBLICA DE APOIO E REPÚDIO

A AMERON – ASSOCIAÇÃO DOS MAGISTRADOS DO ESTADO DE RONDÔNIA, vem a público manifestar o irrestrito apoio ao Juiz de Direito FLÁVIO HENRIQUE DE MELO, bem como o mais veemente repúdio ao atentado feito na sua casa, em Jaru, na madrugada deste dia 11 de agosto, colocando em risco a sua vida e a sua família.

Entendemos esse atentado como uma ação criminosa rasteira, dirigida não só contra o Magistrado, mas sim contra o Poder Judiciário que ela tão bem representa naquela cidade.
A mesma covardia, na mesma data, foi praticada contra a casa do Promotor de Justiça daquela localidade, o que torna evidente tratar-se de uma deplorável ação intimidatória, praticada certamente por quem sente o peso e a firmeza de um Judiciário que vem cumprindo com o seu dever, da melhor forma possível.

A esses covardes repetimos a mensagem: os juízes não se curvarão e o peso da Justiça continuará sempre o mesmo para aqueles que infringem a lei e insistem em confrontar as regras e os princípios de um Estado democrático. E diante de atentados desse tipo, estejam certos que o Judiciário estará ainda mais unido e empenhado em se fazer presente, com todas as suas forças, para bem cumprir a sua missão. 

Esta Associação coloca-se como porta-voz dos seus associados para garantir a todos os cidadãos rondonienses, que os magistrados deste Estado jamais se acovardarão diante de qualquer ação ameaçadora ou agressiva, de qualquer intensidade, dirigida contra um dos Juízes de Direito, assegurando que estes sempre continuarão, de forma segura e valente, a exercer as funções do seu cargo, de forma a pacificar os conflitos sociais de forma justa e com a maior rapidez possível, sempre com base na Constituição e nas leis do país, doa a quem doer.

Asseguramos também, não só ao Juiz que sofreu o atentado, mas a toda a comunidade, a adoção imediata de todas as providências, junto às instituições deste Estado responsáveis pela segurança pública, para apuração e punição exemplar dos responsáveis por aquele ato abominável.

Porto Velho, 11 de agosto de 2015.

Desembargador Renato Martins Mimessi
Vice-Presidente da AMERON

    Opiniões
    Opiniões

0 Comentários:

Postar um comentário

Não aceitamos:

- Agressões e insultos contra autores, outros comentaristas e personagens citados nas colunas e matérias
- Declarações sexistas, xenófobas ou racistas
- Informações falsas
- Propaganda comercial
- Evite digitar em Maiúsculo

 
Copyright © 2016. Cacoal NEWS Todos os Direitos Reservados
Du Pessoa© Web Sites (69) 9366 7066 WhatsApp | www.dupessoa.com.br