Fundador da OLX pede demissão e doa seus bens para a caridade

Enviar no WhatsApp
Dois anos após largar a empresa e buscar a felicidade, Fabrice Grinda fez um balanço do período sabático em artigo

O sucesso é o maior objetivo da vida de um empreendedor. No mundo dos negócios, esse êxito é muitas vezes relacionado a ter uma boa ideia, transformá-la em uma empresa e ganhar um bom dinheiro. Para o francês Fabrice Grinda, o conceito de sucesso não tem muito a ver com o lucro. Em 2006, Grinda cofundou a OLX – plataforma de anúncios na internet conhecida pelo slogan "desapega, desapega" no Brasil. Hoje, Grinda está longe da empresa que criou e dos ganhos que obteve. E porque quis.

O empreendedor Fabrice Grinda (Foto: Divulgação)

Em 2010, a OLX foi vendida para o conglomerado sul-africano Naspers. Grinda, apesar da transação, continuou na presidência da empresa até outubro de 2012. A data marcou uma mudança radical na vida do empreendedor: ele largou a empresa que criou, vendeu seu apartamento de luxo em Nova York e doou a grande maioria dos seus bens. O motivo dessa reviravolta? Grinda não estava mais se sentindo feliz com sua vida. Segundo ele, administrar tudo o que conquistara o impedia de passar o tempo com quem importava. Dois anos após essa verdadeira revolução, o francês fez um balanço do que tem passado.


No texto, ele conta a primeira coisa que fez após "desapegar" foi passar alguns dias na casa de amigos. Grinda até aproveitou o tempo com pessoas que não conversava há tempos, mas percebeu que as pessoas não ficavam muito satisfeitas com sua presença. Ele usa uma frase de Benjamin Franklin para resumir a situação: "hóspedes, assim como peixe, começam a feder após três dias."


Sem problemas. O próximo passo foi “ficar sem fazer nada”. Ou seja, gastou um bom tempo andando de esqui, jogando videogame e vendo filmes. Para se conectar com as pessoas que mais gostava – e sem incomodar ninguém – apostou em viagens conjuntas. Em uma delas, conheceu e se apaixonou pela República Dominicana. Hoje, Grinda passa uma boa parte de seu tempo no país.


Para fazer algum dinheiro, Grinda começou a trabalhar como investidor-anjo, fazendo aportes em empresas com o objetivo de lucrar no longo prazo. O francês afirma que, como gosta mais de empreender do que investir, ele se viu atuando diretamente na criação de novos negócios. Foram dois empreendimentos em 2013 e mais dois neste ano.


Segundo o texto, o francês hoje trabalha até mais do que nos tempos da OLX. No entanto, depois de ter se reconectado às pessoas queridas e descansado bastante, Grinda está otimista para levar uma vida diferente a partir de agora.  

    Opiniões
    Opiniões

0 Comentários:

Postar um comentário

Não aceitamos:

- Agressões e insultos contra autores, outros comentaristas e personagens citados nas colunas e matérias
- Declarações sexistas, xenófobas ou racistas
- Informações falsas
- Propaganda comercial
- Evite digitar em Maiúsculo

 
Copyright © 2016. Cacoal NEWS Todos os Direitos Reservados
Du Pessoa© Web Sites (69) 9366 7066 WhatsApp | www.dupessoa.com.br