Operários fecham BR-364 contra salários atrasados em Cacoal

Enviar no WhatsApp
Pista ficou bloqueada por cerca de 30 minutos em Cacoal. Servidores ameaçam fechar novamente a rodovia.

Os funcionários da empresa Mavi Engenharia e Construção voltaram fechar a BR-364 em Cacoal (RO) na manhã desta quarta-feira (11). A pista foi liberada após cerca de 30 minutos. Os manifestantes, que reivindicam salários atrasados, fecharam a rodovia por cerca de três horas na tarde de terça-feira (10), permanecem nas proximidades da pista e ameaçam novas interdições. A empresa é responsável pela construção de uma linha de transmissão de energia elétrica entre os estados de Rondônia e Mato Grosso.

Funcionários estão concentrados em frente a empresa em Cacoal (RO) (Foto: Magda Oliveira/G1)
Operários fecham BR-364 contra salários atrasados em Cacoal

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o bloqueio parcial da BR na quarta-feira foi feito por volta das 6h30 às 7 horas. Os funcionários queimaram pneus para impedir a passagem dos veículos e só recuaram após a chegada da polícia. “Nós iremos ficar aqui até que toda a situação seja regularizada e os funcionários se acalmem”, afirma o chefe da 2ª delegacia da PRF, Ronaldo Oliveira Silva.

Na manhã de quarta-feira, parte dos 220 funcionários  da empresa estavam organizados em frente da empresa onde também estão alojados. Eles afirmam que caso o pagamento salarial não seja efetivado irão retornar para a rodovia para realizar um novo bloqueio.

PRF faz segurança do local (Foto: Magda Oliveira/G1)Na terça-feira, o mecânico Adilson de Jesus Santos, disse ao G1 que a maioria dos funcionários da empresa é de outros estados e muitos já estão desesperados, pois não sabem quando vão receber. "Não estamos querendo prejudicar ninguém, só queremos receber nossos direitos. Estou há mais de dois anos na empresa e agora vou sair de mãos vazias. Isso não é justo. Assim como eu a maior parte de meus colegas de trabalho vieram do Nordeste e dependem deste dinheiro para sustentar a família", disse.

O G1 tentou contato com os representantes da Mavi Engenharia, porém ninguém  foi encontrado na sede da companhia em Cacoal para falar sobre o assunto.

Entenda o caso

Em outubro deste ano, a empresa Mavi Engenharia teve a conta bloqueada por trabalho degradante. O flagrante das condições foi feito depois que trabalhadores da obra procuraram o presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 14ª Região, desembargador Francisco José Pinheiro Cruz, durante um encontro de magistrados da instituição que estava sendo realizado em Cacoal para denunciar a situação, no dia 15 de outubro.

A rodovia foi bloqueada durante o protesto e permaneceu fechada por duas horas. (Foto: Rogério Aderbal)O magistrado, então, designou a juíza Luciana Assumpção para averiguar a situação junto com dois procuradores do Trabalho, que comprovaram as condições desumanas de trabalho oferecidas pela empresa. Desde então os funcionários estão com os salários atrasados.

O secretário geral do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção Civil do Estado de Rondônia (Sticcero), Cleber Lobato, a empresa deixou de pagar a rescisão dos trabalhadores e buscou o sindicato da categoria para firmar um acordo trabalho. Porém, o acordo não foi firmado entre as partes

Magda Oliveira
Do G1 RO


    Opiniões
    Opiniões

0 Comentários:

Postar um comentário

Não aceitamos:

- Agressões e insultos contra autores, outros comentaristas e personagens citados nas colunas e matérias
- Declarações sexistas, xenófobas ou racistas
- Informações falsas
- Propaganda comercial
- Evite digitar em Maiúsculo

 
Copyright © 2016. Cacoal NEWS Todos os Direitos Reservados
Du Pessoa© Web Sites (69) 9366 7066 WhatsApp | www.dupessoa.com.br