Menu Right

Top Social Icons

Publicidade
Publicidade
69 9 9366 7066
WhatsApp
WhatsApp

18/11/2015

Rompimento de barragens em Rondônia será discutida

“O vertedouro das usinas não tem capacidade para grandes enchentes no futuro”, afirmou Philip Fearnside.

O deputado Léo Moraes (PTB) é proponente da audiência pública que será realizada no próximo dia 30, na Assembleia Legislativa, às 15h. Na pauta, o debate sobre as veiculações nos meios de comunicações da possibilidade de rompimento das barragens das usinas do Madeira.


O parlamentar disse ter ficado atento com as informações repassadas no último dia 6 de novembro, durante a audiência pública em Manaus, que debateu os impactos ambientais advindos da instalação das hidrelétricas de Santo Antônio e Jirau.

Na audiência, proposta pelo de deputado estadual Dermilson Chagas (PDT-AM), o doutor em biologia do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), Philip Fearnside, destacou que a falta de uma avaliação séria antes da obra colocou as barragens sob risco de rompimento.

hidreletrica-de-jirau-Foto-Agência-Brasil1

O pesquisador explicou que os estudos para a construção das hidrelétricas previam apenas as cheias anteriores e não levaram em consideração as mudanças climáticas previstas para o futuro.

Segundo Fearnside, a previsão de mudanças climáticas poderá ocasionar mais enchentes grandes. O problema disse que as usinas foram desenhas nas enchentes passadas. Na de 2014, chegou ao limite. Dessa forma, existe o risco de que elas não suportem a pressão da água e se rompam, podendo haver tragédia em Porto Velho.

“O vertedouro das usinas não tem capacidade para grandes enchentes no futuro”, afirmou Philip Fearnside.


Léo Moraes pediu com urgência a realização da audiência pública para cobrar dos consórcios responsáveis explicações e ao mesmo tempo solicitar medidas urgentes que tentem minimizar os prejuízos de ordem social, ambiental e econômica que os municípios da calha do Madeira já estão sofrendo.

“O assunto é sério, urgente e temos que nos assegurar da real situação das usinas, pois a população precisa saber da verdade. Estou vigilante”, garantiu Léo Moraes.

Autor: Juliana Martins

Copyright © 2016 Cacoal NEWS | Du Pessoa Serviços Digitais.
YOUR ALT TEXT