Pastor suspeito de ter matado taxista em Cacoal é preso pelo DHPP

Enviar no WhatsApp
Uma operação realizada entre a Polícia Civil de Cacoal, e o Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) de São Paulo (SP), resultou na prisão do pastor e funcionário público Cláudio Severino da Silva, também conhecido como Cal.

O homem estava foragido desde o mês de janeiro deste ano, acusado de ter envolvimento no assassinato de um taxista de 69 anos cometido no dia 5 de janeiro, na área rural do município. A prisão foi realizada no dia 19 de abril, às 22h30, em uma cidade do interior de São Paulo.

Cláudio Severino da Silva, conhecido como Cal, está sendo procurado pelo assassinato do taxista. (Foto: Polícia Civil/Divulgação)

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Arismar Araújo, por enquanto a prisão é temporária e a polícia terá o prazo de 30 dias para concluir o inquérito.  “O mandado de prisão contra ele é temporária. As investigações procedem e ao final do inquérito pretendemos pedir a prisão preventiva, dado a gravidade do crime e pelo ânimo do suspeito de ter foragido da justiça”, garantiu o delegado.

O funcionário público aguarda a conclusão do inquérito preso no mini presídio de Cacoal. O suspeito nega a autoria ou participação no crime e a polícia continua trabalhando no caso para tentar descobrir os motivos do assassinato do taxista.

Entenda o caso

Cláudio Severino da Silva é suspeito de ter se envolvido no assassinato de um taxista, cometido no dia 5 de janeiro. O homem foi morto com dois tiros de arma de fogo na cabeça, ainda dentro do carro onde trabalhava e apesar de estar com uma quantia razoável de dinheiro no veículo, os autores do crime levaram apenas a chave que estava na ignição.


O suspeito que estava foragido trabalhava como motorista da prefeitura do município deMinistro Andreazza e era pastor de uma igreja evangélica.

O delegado contou que o pastor atraiu o taxista através de uma ligação de orelhão, pedindo para que fizesse uma ‘corrida’ com ele. Quando já estavam distantes da cidade, o suspeito possivelmente executou o crime ainda dentro do veículo, sentando no banco do passageiro.


A polícia chegou ao suspeito, através de imagens de uma câmera de segurança da mercearia onde Cal comprou o cartão de orelhão para ligar para o taxista, após uma busca e apreensão realizada em sua residência a camiseta foi encontrada.


O suspeito chegou a prestar depoimento à polícia e negou seu envolvimento no assassinato, apresentando um álibi que, após ser verificado pela polícia não foi confirmado. No dia seguinte ao depoimento a justiça decretou um mandado de prisão contra Cláudio, mas quando os policiais foram executar descobriram que o homem havia fugido com a família e toda a mudança da casa, durante a madrugada.

Fonte: Rondo Cristão

    Opiniões
    Opiniões

0 Comentários:

Postar um comentário

Não aceitamos:

- Agressões e insultos contra autores, outros comentaristas e personagens citados nas colunas e matérias
- Declarações sexistas, xenófobas ou racistas
- Informações falsas
- Propaganda comercial
- Evite digitar em Maiúsculo

 
Copyright © 2016. Cacoal NEWS Todos os Direitos Reservados
Du Pessoa© Web Sites (69) 9366 7066 WhatsApp | www.dupessoa.com.br