Novo golpe da lista telefônica é aplicado no comércio de Rondônia

Enviar no WhatsApp
Suposta agência de publicidade oferece serviço gratuito e cobra em seguida. Gerente de empresa respondeu e-mail: 'Não caio neste golpe mais'.

Empresas de Ariquemes (RO), na região do Vale do Jamari, vem sendo alvo de uma tentativa de estelionato. A prática ilegal, segundo comerciantes, está sendo realizada por uma empresa do seguimento de publicidade em lista telefônica digital, com sede em São Paulo.  A Associação Comercial e Industrial de Ariquemes (Acia) e Programa de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) emitiram um alerta sobre a ocorrência deste tipo de golpe.

Gerente de loja percebeu fraude a tempo, em Ariquemes (Foto: Franciele do Vale/ G1)

Segundo as entidades, a abordagem é feita na maioria das vezes por telefone. Uma pessoa que se diz funcionário da agência de publicidade faz contato com a empresa e oferece o serviço de forma gratuita, alegando ser um recadastramento sem custo algum. No segundo passo do golpe, o suposto funcionário envia um e-mail com um contrato e pede para o empresário ou representante o devolva assinado via fax ou e-mail.

No entanto, no contrato vem exposto, que na verdade, o empresário terá que pagar pelo suposto serviço prestado, em parcelas divididas em 12 vezes. "Os comerciantes não podem ceder às chantagens nem pagar esse boleto, porque se trata de estelionato. Eles devem procurar a polícia para registro de ocorrência", afirma a gerente do Procon de Ariquemes, Cleuza Gonzaga.


Ao G1, o gerente de uma empresa de produtos agrícolas do município, Rodrigo de Paula, disse que sofreu a tentativa de golpe na última segunda-feira (23). O suposto funcionário da agência entrou em contato por telefone e depois mandou um contrato por e-mail para ser assinado.

"Uma filial nossa em Monte Negro caiu nessa há alguns anos , nunca nada foi pago a eles, mas fizeram muita pressão e cobranças. Quando recebi a ligação já fiquei esperto, e mantive o sujeito na linha para ver se conseguia algo dele, e saber qual seria a prática dessa vez, mas pra minha surpresa, ele agiu do mesmo jeito", contou.

Ainda de acordo com o gerente, no contrato, havia especificado que a empresa em que trabalha teria de pagar pelo suposto serviço, em 12 parcelas de R$ 450. "Fiz todos os procedimentos que ele pediu, coloquei somente os dados que eu queria e devolvi o e-mail pra ele com a frase: ‘Não caio neste golpe mais’. O indivíduo respondeu o e-mail, e de forma irônica, mandou um abraço pra minha esposa", disse o gerente.

O caso é acompanhado também pela Polícia Civil e, de acordo com o delegado regional Thiago Flores, mesmo que os empresários não cedam ao golpe, é preciso fazer o registro dos fatos na delegacia, pois segundo ele, trata-se de uma tentativa de estelionato, que também se configura crime.

"Induzir ao erro como foi feito, informando que não havia custo algum pelo serviço, e depois cobrar, é tentativa de estelionato, e é crime. Tem que ser denunciado para a polícia investigar", concluiu o delegado.

O G1 tentou contato com a suposta empresa paulista, mas até o fechamento desta reportagem ninguém foi encontrado.

Franciele do Vale
Do G1 Ariquemes e Vale do Jamari com informações da Rede Amazônica

    Opiniões
    Opiniões

0 Comentários:

Postar um comentário

Não aceitamos:

- Agressões e insultos contra autores, outros comentaristas e personagens citados nas colunas e matérias
- Declarações sexistas, xenófobas ou racistas
- Informações falsas
- Propaganda comercial
- Evite digitar em Maiúsculo

 
Copyright © 2016. Cacoal NEWS Todos os Direitos Reservados
Du Pessoa© Web Sites (69) 9366 7066 WhatsApp | www.dupessoa.com.br