Vaqueiro confessa em vídeo ter matado bebês gêmeos de 11 meses em São Miguel

Enviar no WhatsApp
Ele disse que não queria ferir as crianças, somente a mãe deles, sua ex. Antônio Matos foi preso na zona rural de São Miguel do Araguaia, GO.

O vaqueiro Antônio Ribeiro Matos, de 26 anos, confessou que espancou até a morte os gêmeos de 11 meses e esfaqueou a mãe deles, sua ex-namorada. Os homicídios ocorreram em São Miguel do Araguaia, região norte de Goiás. Em um vídeo feito pela Polícia Militar, o jovem afirma após ser preso que agiu por "fúria" e que não tinha intenção de matar as crianças, mas somente a mulher (assista).


"Na hora, foi fúria, por não aceitar o que ela estava fazendo comigo [...]. Ela já tinha separado dele [pai das crianças] faz tempo e nós já tínhamos um caso há dois anos. Só que ela disse que a família dela não me aceitava pela minha profissão. Não era para agredir as crianças não. Era só ela", afirma.


A mãe das crianças, Taís Araújo de Oliveira Paula, de 23, foi ferida durante o ataque e chegou a ser levada ao hospital, mas já recebeu alta. Segundo a Polícia Civil, ela ainda tentou defender os filhos, que se chamam David Luiz e Lucas Felipe, mas não conseguiu evitar que eles fossem mortos. Os bebês foram mortos na madrugada da última segunda-feira (8). Em entrevista exclusiva à TV Anhanguera, Taís chorou ao relatar os momentos de desespero que viveu ao ver os filhos sendo agredidos (veja vídeo abaixo). 


Ela pediu ainda que  o suspeito do crime seja punido. "Meus filhos eram anjos, inocentes, não sabiam do que estava acontecendo. Espero que ele pague pelo que fez. Pague pior do que ele fez com meus filhos", disse Taís.

Prisão

Antônio foi preso nesta manhã, na zona rural de São Miguel do Araguaia. Em seguida, ele foi levado para uma delegacia de Porangatu. O delegado André Medeiros, responsável pelo caso, já havia pedido a prisão dele à Justiça um dia antes.

Vaqueiro Antônio Ribeiro Matos, suspeito de matar gêmeos de 11 meses, é preso pela PM, em Goiás (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)
Pai de bebês gêmeos espancados até a morte pede punição: 'É um monstro' em Goiás 
De acordo com a investigação, Antônio não aceitava o término do namoro, que havia durado apenas um mês. A família havia reprovado o romance alegando que o suspeito já tivera envolvimento com mulheres casadas. "Nunca teve nada sério. Meu pai não aceitou o namoro, pois só eu cuido dele. Aí não tinha como", disse Taís.


Diante disso, ela se separou e começou a namorar um policial militar. Minutos antes do crime, o agente estava com ela e viu Antônio passar de moto em frente a casa e xingar a ex. O militar ainda ficou no local por algum tempo acreditando que Antônio não voltaria, o que não aconteceu. Tanto ele como colegas de trabalho do suspeito serão intimados a depor sobre o caso.

Aniversário

O pai de David Luiz e Lucas Felipe, como se chamavam os meninos, pediu uma punição ao suspeito, o qual chamou de "monstro". Ele afirma que no próximo dia 17, os gêmeos completariam um ano de vida. O homem, que mora em Goiânia, estava preparando a comemoração do aniversário.


"Tinha contato com ela [mãe das crianças], conversava com os meninos pelo telefone. Eles iam fazer um aninho. Eu ia vir de Goiânia para fazer uma festinha deles no final de semana. Trouxe até um presente para eles", afirma Anderson Silva.

Pai de bebês gêmeos espancados até a morte pede punição: 'É um monstro' em Goiás (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

Pai de bebês gêmeos espancados até a morte pede punição: 'É um monstro' em Goiás 
Taís e o pai dos gêmeos viveram juntos por três anos, em Goiânia. Quando eles se separaram, ela foi morar em São Miguel do Araguaia. "Eu sempre ligava para saber como estavam os meninos. Eu sempre ia fazer o meu papel de pai", disse. Durante o enterro das vítimas, Anderson passou mal e teve de ser amparado por parentes.

TV Anhanguera
Do G1 GO

    Opiniões
    Opiniões

0 Comentários:

Postar um comentário

Não aceitamos:

- Agressões e insultos contra autores, outros comentaristas e personagens citados nas colunas e matérias
- Declarações sexistas, xenófobas ou racistas
- Informações falsas
- Propaganda comercial
- Evite digitar em Maiúsculo

 
Copyright © 2016. Cacoal NEWS Todos os Direitos Reservados
Du Pessoa© Web Sites (69) 9366 7066 WhatsApp | www.dupessoa.com.br