Caso Valter Nunes - Júri deverá ser concluído na próxima sexta-feira

Enviar no WhatsApp
O juiz de Direito Carlos Roberto de Rosa Burck, titular da 1ª Vara Criminal da comarca de Cacoal (RO), acredita que o júri dos acusados de participar da morte do ex-presidente da Subseção da OAB/RO, advogado Valter Nunes de Almeida deverá ser concluído na próxima sexta-feira (25/11). De acordo com o magistrado, a previsão inicial era para esta quinta-feira (24), porém, as testemunhas de acusação demoraram nos seus depoimentos.

Caso Valter Nunes: Júri deverá ser concluído na próxima sexta-feira

Essa demora, de acordo com um dos advogados que atua no processo, é fundamental para esclarecer dúvidas sobre os depoimentos prestados em Juízo, bem como sanar qualquer questionamento relacionado ao caso. Até agora, já foram ouvidas doze testemunhas (acusação e defesa) das trinta e cinco arroladas nos autos. “Não temos pressa na conclusão dos trabalhos, pois viemos aqui para fazer Justiça”, pontuou um dos causídicos.

Depoimento

A testemunha de acusação Solange Pereira Gregório prestou depoimento durante seis horas seguidas, nesta terça-feira. Durante sua oitiva, ela disse que tem sofrido ameaças de morte. “Não tenho receio de falar sobre o crime, pois apesar de não ter presenciado nada, obtive informações por meio daqueles que supostamente participaram do fato”, explicou.

Caso Valter Nunes: Júri deverá ser concluído na próxima sexta-feira

Solange Pereira Gregório, que já respondeu pelos crimes de tráfico de droga e aliciamento de menores, afirmou que fazia programas sexuais com os réus Sóstenes Alencar Ferreira, Vera Lúcia Nunes de Almeida e Cássio de Jesus Claros. Ela também detalhou como conheceu a advogada (ex-esposa da vítima) e o suposto amante (empresário).

Caso Valter Nunes: Júri deverá ser concluído na próxima sexta-feira

Em um dos trechos do seu depoimento, Solange disse também que tomou conhecimento primeiramente da quantia de trinta e quatro mil reais e que depois viu os cinquenta mil nas mãos do réu Jonas de Freitas, vulgo “Lenga”. Ela não soube explicar se os valores seriam parte do pagamento.

Relembre o caso

O crime ocorreu no dia 30 de março de 2007, em Cacoal (RO), quando Cássio de Jesus Claros e Jonas de Freitas que usavam capacetes com viseiras escuras, armas de fogo, entraram no escritório da vítima, renderam a secretária e dispararam várias vezes contra o presidente da Subseção da OAB/RO de Cacoal, Valter Nunes de Almeida. Vera Lúcia Nunes de Almeida é acusada de ser a suposta mandante do crime que resultou na morte do seu esposo. A prisão da acusada foi determinada pelo juízo da comarca de Cacoal, porém, atualmente ela responde o processo em liberdade.

Da Redação 
Rondônia Agora

    Opiniões
    Opiniões

0 Comentários:

Postar um comentário

Não aceitamos:

- Agressões e insultos contra autores, outros comentaristas e personagens citados nas colunas e matérias
- Declarações sexistas, xenófobas ou racistas
- Informações falsas
- Propaganda comercial
- Evite digitar em Maiúsculo

 
Copyright © 2016. Cacoal NEWS Todos os Direitos Reservados
Du Pessoa© Web Sites (69) 9366 7066 WhatsApp | www.dupessoa.com.br