Menu Right

Top Social Icons

Publicidade
Publicidade
69 9 9366 7066
WhatsApp
WhatsApp

27/05/2017

Audiências públicas sobre Uber não avançam e “taxistas” combatem serviço com violência

A classe política do Estado de Rondônia, em especial, do município de Porto Velho vem se mobilizando em audiências públicas para discutir com a sociedade sobre a implantação do transporte alternativo denominado Uber. Todavia, o tema debatido na Assembleia Legislativo e na Câmara de Vereadores da Capital não avançou. Por outro lado, um grupo de “taxistas” resolveu combater a implantação do serviço com violência na manhã dessa quarta-feira (17).

 Audiências públicas sobre Uber não avançam e “taxistas” combatem serviço com violência

O condutor do veículo Hyundai I30 de placa NDN-3988, M.A.B., 26 anos, ao atender um suposto chamado para corrida foi surpreendido pelo grupo de “taxistas” no cruzamento das Ruas João Pedro da Rocha com Jac-Paraná, Bairro Nova Porto Velho. Logo, recebeu violência física e se abrigou em uma residência nas proximidades. No entanto, os profissionais do setor de transporte não contiveram a ira e passaram a quebrar o automóvel da vítima utilizando cassetetes em plena luz do dia.

Populares acionaram o Centro Integrado de Operações Policiais (Ciop), o qual designou a guarnição do setor para atender essa ocorrência. Os policiais militares encontraram a vítima com a camisa rasgada e apresentando lesão corporal no corpo, enquanto o veículo estava parcialmente deteriorado. O fato ocorreu em frente de uma entidade de classe, por isso, foi necessário o presidente autorizar a entrada dos profissionais de segurança. Foram conduzidos S.C., 42 anos e B.A.A., 23 anos.   

A vítima relatou que o veículo custa mais de R$ 20 mil reais, mas não conseguiu preservar o patrimônio porque foi cercado por mais de 15 pessoas que supostamente estavam fardados com a identificação de uma cooperativa de táxi. Por outro lado, em um vídeo que circula nas redes sociais os suspeitos de terem danificado o automóvel se expressam claramente que o prejuízo deveria ser pago pela Uber. A ocorrência foi registrada na Central de Flagrantes, mas a temática deverá ser incluída na agenda política.

O titular da Secretaria Municipal de Trânsito, Mobilidade e Transporte (Semtran), Marden Ivan de Carvalho Negrão, enfatiza que o Uber está irregular e proibido de se instalado em Porto Velho. Porém, condena a ação violência por parte dos “taxistas” que se envolveram no episódio dessa manhã. Em entendimento, é preciso deixar as instituições que tenham legitimidade para tratar da questão resolver esse problema. Por outro lado, diz que os agentes de trânsito irão recolher os veículos que estejam atuando nesse serviço. 

Da Redação 
Cacoal NEWS

Copyright © 2016 Cacoal NEWS | Du Pessoa Serviços Digitais.
UNOPAR_CACOAL