Menu Right

Top Social Icons

Publicidade
Publicidade
69 9 9366 7066
WhatsApp
WhatsApp

05/05/2017

Após informações desencontradas sobre falecimento de adolescente laudo aponta morte natural por causa indeterminada

Uma Guarnição da Polícia Militar ao Hospital de Emergência de Cacoal (EURO), pois foram informados que no hospital, havia acabado de dar entrada um adolescente de 13 anos de idade com sinais de lesões e violências sexuais.


Adolescente de 13 anos com sinais de lesões e violência sexual morre de parada cardíaca no hospital de Cacoal

Ao chegar ao hospital, a vítima estava em um leito hospitalar juntamente com uma equipe médica tentando reanimar, pois o mesmo havia sofrido uma parada cardíaca, momentos após o adolescente voltou em si, porém ficando em estado grave de saúde.


Aos policiais, o hospital informou que o adolescente havia sido levado pelo seu padrasto que trajava camiseta preta e calça jeans e estava acompanhado de seu patrão, o patrão do padrasto saiu do hospital pelas portas dos fundos.


Enquanto os policiais as informações no hospital, a mãe da vítima, chegou ao hospital e logo evadiu do local com outro homem, os policiais estranhando tal ação saiu em diligências e logrou êxito de alcançar a mesma ainda próximo ao hospital. Ao indagar a mãe sobre o paradeiro de seu esposo, padrasto da vítima, ela disse que ele teria ido até a residência pegar alguns documentos.


Ao voltarem para o hospital, o padrasto chegou e ao indagar sobre tais documentos, o mesmo disse que não tinha nenhum documento, neste momento o padrasto já trajava uma camiseta listrada de branco e vermelho. Neste momento das conversas, o setor de emergência e urgência do hospital informou que o menor havia sofrido novamente outra parada cardíaca e não havia resistido, vindo a óbito as 11:04 horas da manhã desta segunda-feira (05).


Uma médica do hospital disse que o médico legista foi até o hospital e constatou a morte do menor, sendo que a causa especifica seria analisada posteriormente.


Diante dos fatos, a mãe e o padrasto do menor foram levados para a delegacia de polícia civil pára registro de ocorrência, os dois aparelhos celulares de ambos foram apreendidos, sendo que o casal ficou a disposição da justiça para os procedimentos cabíveis que o caso couber.


Reviravolta

Após um dia de muitas controvérsias e informações desencontradas chegou ao final o caso Natann, menino que faleceu no HEURO em Cacoal. O laudo legista saiu no início da noite desta segunda, 05, onde apontou a morte como natural por causa indeterminada. De acordo com um dos familiares ao qual o site Rondônia in Foco teve acesso somente no período da noite, a familia está de luto e não irá se pronunciar, mas que a própria família acredita que Natann teve uma convulsão, o que teria provocado os ferimentos que foram confundidos com uma suposta agressão no primeiro momento. Em sua rede social a jornalista Débora Soraia, parente de Natann, expressou a dor da familia a respeito do desencontro de informações e salientou o laudo e que a família de fato pensa no caso de convulsão que culminou posteriormente na morte do adolescente.

A informação de que a mãe teria abandonado o menor também não procede, haja vista que a ausência temporária do hospital foi devidamente explicada a polícia e que a mãe assinou todos os documentos na chegada do menino no setor de recepção do hospital. Ao todo foram três pessoas levadas a delegacia para esclarecimento e posteriormente liberadas, sendo a mãe, padrasto e uma testemunha que teria ajudado no socorro do menor.

Entenda o caso

O caso tomou proporções gigantescas após uma emissora de TV local ter anunciado o fato como suposto estupro e agressões e que a mãe e o padrasto terem “abandonado” o menor que faleceu. Após isso um site estadual fez os mesmos apontamentos que levou a rápida propagação destas informações equivocadas.

E diversos grupos de redes sociais o áudio do repórter de TV foi dissiminado e o link de matéria foi repercutido em todo o estado principalmente pelo fato de conter foto do menor, mesmo que desfocada.

A redação do site Rondônia in Foco passou todo o dia em busca de informações e foi o primeiro a desmentir a acusação de estupro. Outro ponto é que no desenvolver do fato o site se manteve firme no seu propósito de informar a população em tempo real até o fechamento do caso.

Assim como toda Cacoal, todos os colaboradores do site Rondônia in Foco estão enlutados pelo falecimento de Natann.

Nota oficial da família publicada nas redes sociais

Quando todos nós da família recebemos a informação do falecimento do Nattan ficamos consternados. Em um primeiro momento, por todos estarmos envolvidos no sentimento de perda e de dor profunda, não sabíamos o que estavam falando sobre caso. Não queremos acreditar que as informações que foram estampadas em sites e pelo Facebook tenham partido do hospital que o atendeu, pois, sabemos que muitos ali deram o seu melhor para o atendimento do Nattan e sofreram pela perda dele. Poderia agora, eu Débora, trazer nesta nota tantos outros assuntos a serem abordados, mas isso não me compete. Aqui não sou apenas eu, falo em nome de toda nossa família que com tudo que ouviu ficou arrasada. Nós não tínhamos a ideia do que estava acontecendo e sendo ventilado pela cidade.

Aguardamos o que as autoridades tinham para nos dizer e agora temos em mãos o laudo da necropsia do corpo do Nattan, que atesta que a morte dele não foi em decorrência de estupro ou agressão. O legista atestou morte por causas naturais, que acreditamos ser em decorrência de uma convulsão.

Agora iremos velar seu corpo e depois de sepultá-lo. Aos interessados em noticiar o caso, peço que falem com as autoridades. Depois falarei e aí sim, em meu nome, abordarei o que mais uma vez um lado marrom da imprensa de Cacoal fez. Hoje não temos condições de falar, nem gravar vídeo e pedimos o respeito de todos. Estamos de luto, estamos sofrendo, mas Deus é nosso sustento e fortaleza.


Famílias Motta, Anerão, Paula Rosa e Nascimento.

Da Redação
Alerta Rondônia
Romipora FM

Copyright © 2016 Cacoal NEWS | Du Pessoa Serviços Digitais.
UNOPAR_CACOAL