Menu Right

Top Social Icons

Slider Area 1

Slider Area 2

Slider Area 3

Responsive Full Width Ad

Destaques

Polícial

Notícias Recentes

Saúde

Destaques

Eleições 2018

Ji-Paraná

Rolim de Moura

Porto Velho

Anuncie

Interior

Odebrecht

Lava Jato

21/11/2018

Presidiário que dá expediente no Congresso, Acir Gurgacz é 'barrado' em saidão de Brasília

Para juíza, parlamentar não está na cadeia tempo suficiente para ter direito ao benefício. Gurgacz cumpre pena há 1 mês. O senador Acir Gurgacz (PDT-RO) – que cumpre pena no Complexo da Papuda, mas dá expediente no Congresso Nacional – foi vetado pela Justiça para participar do saidão de presos durante o feriado prolongado da Proclamação da República.

Presidiário que dá expediente no Congresso, Acir Gurgacz é 'barrado' em saidão de Brasília

O advogado do parlamentar pediu o benefício. Mas, no entendimento da juíza Leila Cury, da Vara de Execuções Penais (VEP), Gurgacz não está na cadeia há tempo suficiente para ter direito à saída temporária. A reportagem tenta contato com a defesa do senador. No saidão, 1.160 presos no Distrito Federal foram liberados das 7h desta quinta-feira às 10h desta segunda (19). A saída temporária beneficia detentos do semiaberto e aqueles com autorização de trabalho externo ou saídas temporárias.

Para a juíza da VEP, não era possível liberar o senador porque ele ainda não cumpriu um sexto da pena à qual foi condenado por crimes contra o sistema financeiro – de 4 anos e 6 meses. Na prática, o senador só teria acesso ao benefício depois de 9 meses de prisão. Até esta terça-feira (20), ele só tinha cumprido 1 mês e 3 dias na cadeia.  “Considerando que o reeducando ainda não alcançou o ‘quantum satis’ para fazer jus ao benefício pleiteado, impõe-se se o indeferimento nos termos da lei”, decretou Leila Cury, em decisão da última quinta (14).

Trabalho externo

Acir Gurgacz voltou a trabalhar no Senado em 29 de outubro, após autorização do Supremo Tribunal Federal (STF). Pelas regras, ele pode deixar a cadeia em dias úteis às 8h e deve retornar às 19h30. Nos dias em que as sessões se estenderem para o período noturno, poderá permanecer no Senado, mas deverá comprovar isso ao presídio por meio de uma certidão emitida pelo Senado. A condição é de que ele volte até uma hora após o fim da sessão.

Relembre

Segundo o Ministério Público, em 2002, quando era diretor de uma empresa de ônibus no Amazonas e em Rondônia, Acir Gurgacz pediu financiamento de R$ 1,5 milhão ao Banco da Amazônia (Basa) para a renovação da frota.

De acordo com a assessoria do senador, ele não era diretor da empresa e nem foi ele quem pediu o financiamento, mas, sim, a empresa e que ele foi apenas um dos quatro avalistas – e o único a ser notificado e penalizado. O MP considerou que, na operação, houve fraude por parte do senador para obter o empréstimo, além de uso irregular do dinheiro para comprar combustível, mas o senador foi inocentado dessas acusações.

Gurgacz foi condenado por desvio de finalidade na aplicação do empréstimo obtido em instituição financeira oficial. De acordo com a acusação, o dinheiro que seria destinado para a renovação da frota de ônibus acabou sendo utilizado para adquirir modelos usados.

Quando Acir Gurgacz foi condenado, a assessoria de imprensa dele divulgou uma nota na qual afirmou que ele considerava injusta a decisão e lembrava que o empréstimo foi feito quando "Acir estava afastado das atividades administrativas da empresa, não ocupava nenhum cargo público e assinou o contrato apenas como avalista".

Da Redação
Por Gabriel Luiz, G1 DF

Juíza determina condições de trabalho para deputado federal Nilton Capixaba

Ministro do STF Gilmar Mendes, autorizou no dia 12 de novembro que Nilton trabalhasse durante o dia como deputado federal. Decisão estabelece horário de trabalho, local para almoço e veta visita de parentes.

A juíza Leila Cury, da Vara de Execuções Penais do Distrito Federal, disciplinou nesta segunda-feira (19) a autorização de trabalho do deputado federal Nilton Capixaba (PTB-RO), condenado por corrupção passiva pela segunda turma do Supremo Tribunal Federal (STF). A regulamentação prevê horário de trabalho, local de almoço para o parlamentar e veta a visita de parentes e amigos no local de trabalho.

Juíza determina condições de trabalho para deputado federal Nilton Capixaba

O ministro do STF Gilmar Mendes, relator do caso, autorizou no dia 12 de novembro que Nilton trabalhasse durante o dia como deputado federal. Após a decisão da juíza, o deputado já pode voltar ao trabalho. O G1 tentou contato com a defesa de Nilton para saber se ele deve retornar à Câmara na terça-feira (20), quando há sessão plenária confirmada, mas ainda não obteve retorno.

O parlamentar segue cumprindo a pena de mais de seis anos no Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília.

Na decisão, Leila autoriza que Nilton:

Compareça à Câmara dos Deputados em dias úteis, quando houver sessão. Saia do Centro de Detenção Provisória às 8h, devendo retornar às 20h. Quando as sessões se estenderem até a noite, deverá comprovar à direção do presídio por meio de certidão.

Durante a atividade parlamentar, não poderá receber parentes ou amigos. Uma vez por mês o Presidente da Câmara deverá enviar ao presídio o registro eletrônico de frequência de Nilton. Para almoçar, poderá se distanciar até 100 metros da Câmara dos Deputados, não podendo fazer as refeições na casa de amigos ou parentes.
A juíza reforça que Nilton terá direito a saídas quinzenais para ver os familiares.

Leila Cury explica ainda, na decisão, que o descumprimento de qualquer uma das condições estabelecidas pode caracterizar falta disciplinar. Como consequência, Capixaba corre o risco de ter as saídas diárias e quinzenais suspensas.

Prisão de Nilton Capixaba

O deputado federal Nilton Capixaba está preso desde o dia 9 de novembro, quando se apresentou à Polícia Federal, em Brasília. Ele cumpre pena de seis anos, 10 meses e 6 dias em regime semiaberto por corrupção passiva. Segundo a denúncia do Ministério Público Federal (MPF), o parlamentar estava envolvido com a "Máfia dos Sanguessugas", um organização criminosa que desviava recursos de emendas parlamentares destinadas à compra de ambulâncias.

Entenda

O parlamentar é um dos investigados na Máfia dos Sanguessugas, um esquema de fraudes a licitações para compra de ambulâncias. O crime foi revelado à Polícia Federal em 2006; Em fevereiro deste ano, foi condenado pelo STF a seis anos, 10 meses e seis dias em regime semiaberto por corrupção passiva; 

No início de novembro, a 2ª Turma do STF determinou a execução imediata da pena;
Depois, o parlamentar se entregou à Polícia Federal, em Brasília;  

O advogado de Capixaba pediu ao STF que o parlamentar trabalhe durante o dia na Câmara dos Deputados;

Ministro Gilmar Mendes concedeu a autorização para que o deputado trabalhe, além de que seja transferido da superitendência da Polícia Federal ao Centro de Detenção da Papuda, também em Brasília.


Da Redação

Jaqueline Fonseca 
e Mayara Subtil, Rede Amazônica, G1 RO

17/11/2018

Ministro do STF autoriza Nilton Capixaba a trabalhar como deputado federal durante o dia

Parlamentar permanece detido na superintendência da PF em Brasília. Ele foi condenado por corrupção passiva. O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou que o deputado federal Nilton Capixaba (PTB-RO) continue trabalhando na Câmara dos Deputados enquanto cumpre a pena de seis anos, 10 meses e seis dias em regime semiaberto no Centro de Detenção do Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília. O parlamentar foi condenado por corrupção passiva.

Cadeia de "mentirinha"! Ministro do STF autoriza Nilton Capixaba a trabalhar como deputado federal durante o dia

O pedido em seguir trabalhando foi feito pelo advogado de Nilton na última sexta-feira (9). Relator do caso, Gilmar Mendes também autorizou que a Polícia Federal (PF) transfira Capixaba da superintendência da PF, onde permanece preso desde o último fim de semana, ao Complexo da Papuda.

A PF informou ainda não ter sido oficialmente notificada da liberação. Enquanto isso, o parlamentar continua preso na superintendência. Nilton Capixaba se entregou à Polícia Federal (PF) no último fim de semana. Conforme informações da chefia de gabinete do parlamentar, ele se apresentou de forma voluntária.

Por unanimidade, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) determinou que o deputado federal cumprisse imediatamente a pena. Ele foi condenado por corrupção passiva na Operação Sanguessuga. A ação penal contra o deputado foi aberta em 2011.

De acordo com a denúncia, o deputado teve participação no esquema de fraudes a licitações para compra de ambulâncias revelado pela Polícia Federal em maio de 2006, destinando emendas que beneficiaram a empresa Planam. Em troca, segundo o Ministério Público, o parlamentar recebia uma porcentagem dos repasses em propina. À época, a PF estimou a movimentação do esquema em cerca de R$ 110 milhões.

Entenda o caso de Nilton Capixaba:

O parlamentar é um dos investigados na Máfia dos Sanguessugas, um esquema de fraudes a licitações para compra de ambulâncias. O crime foi revelado à Polícia Federal em 2006;

Em fevereiro deste ano, foi condenado pelo STF a seis anos, 10 meses e seis dias em regime semiaberto por corrupção passiva;

No início de novembro, a 2ª Turma do STF determinou a execução imediata da pena;

No último fim de semana, o parlamentar se entregou à Polícia Federal, em Brasília;

Na mesma época, o advogado de Capixaba pediu ao STF que o parlamentar trabalhe durante o dia na Câmara dos Deputados;

Ministro Gilmar Mendes concedeu a autorização para que o deputado trabalhe, além de que seja transferido da superitendência da Polícia Federal ao Centro de Detenção da Papuda, também em Brasília.



Da Redação

Jaqueline Fonseca 
Mayara Subtil, Rede Amazônica, G1 RO

PRF divulga rota alternativa após interdição de ponte na BR 364

Interdição deve durar até 90 dias. Obras de manutenção na ponte do distrito de Riozinho começam em dezembro. Os motoristas que precisam passar diariamente pela ponte no distrito de Riozinho, que liga os municípios Cacoal e Pimenta Bueno, na BR-364, contam agora com uma rota alternativa (veja mapa).


O local foi interditado pelo Departamento Nacional de Infraestruturas de Transporte (DNIT) na última quarta-feira (14) por causa de problemas na estrutura que se arrastam há algum tempo. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), são três rotas possíveis. Além disso, os condutores devem percorrer, em média, cerca de 40 quilômetros a mais por causa da interdição.

PRF divulga rota alternativa após interdição de ponte na BR 364

Conforme o policial rodoviário Emerson Vieira Rocha, quem quer sair de Porto Velho e chegar em Cacoal (RO), por exemplo, precisa entrar em uma estrada no sentido Rolim de Moura (RO). "Depois, chegará ao distrito de Nova Estrela e, depois, retornar a BR-364 por meio de Pimenta Bueno (RO)", disse.

Mayara Subtil e Jhonatas Trindade
G1 Cacoal e Zona da Mata, Rede Amazônica

Polícia apreende rapaz por tráfico de drogas e recupera moto roubada em Ariquemes

Drogas foram apreendidas na casa do rapaz. Motoneta roubada estava escondida no meio do mato. Um adolescente de 17 anos foi apreendido na noite de sexta-feira (16) por roubo e tráfico de drogas no Bairro Mutirão em Ariquemes (RO), no Vale do Jamari. Na casa em que estava o suspeito, em um fundo falso sob um fogão, foram encontradas porções de crack, maconha e uma arma airsoft. O rapaz confessou ter usado a arma para roubar uma motoneta na noite de quinta-feira (15) e revelou aos policiais que escondeu o veículo no mato.

Polícia apreende rapaz por tráfico de drogas e recupera moto roubada em Ariquemes

Segundo informações da Polícia Militar (PM), a apreensão aconteceu na noite de sexta-feira em uma residência no Bairro Mutirão. Uma denúncia anônima informou que a casa era usada para comércio de drogas. Quando os policiais chegaram no endereço, o adolescente tentou fugir, entrando no quintal, sendo alcançado pelos agentes. Durante a revista foi encontrado com o jovem uma faca. Comunicado da denúncia, ele disse ser menor e informou que comercializava drogas.

Dentro da casa, em um fundo falso embaixo do fogão, foram encontradas 36 porções de crack, um de maconha, dinheiro e celular, além de uma arma de Airsoft sem carregador, similar a usada no roubo de uma motoneta na noite de quinta-feira (15), no Jardim Jorge Teixeira, quando durante a fuga deixaram cair o carregador.

Questionado, o rapaz apreendido assumiu ter participado do roubo, informando que a motoneta estava escondida no mato próximo ao antigo areal no final da avenida Dom Pedro. As drogas apreendidas, o suspeito e a motoneta recuperada foram levados para Unidade Integrada de Segurança Pública (Unisp), onde foi registrada a ocorrência.

Da Redação
G1 Ariquemes e Vale do Jamari

Casas populares em construção são invadidas em Monte Negro

Obras estão paralisadas desde 2015. Oitenta pessoas invadiram as quarenta casas em construção. Quarenta casas em construção do projeto Minha Casa Minha Vida em Monte Negro (RO), no Vale do Jamari, foram invadidas na quinta-feira (15). Os beneficiários assinaram os contratos, mas as obras foram paralisadas em 2015. Os ocupantes disseram que estão passando por dificuldades e não têm condições de pagar aluguel.

Casas populares em construção são invadidas em Monte Negro

A ocorrência foi registrada na manhã de sexta-feira (16) após a Polícia Militar (PM), juntamente com assistentes sociais, irem até o conjunto habitacional e confirmar a informação da ocupação das 40 casas em construção. De acordo com a ocorrência, aproximadamente 80 pessoas ocuparam as residências alegando dificuldades financeiras.

Por telefone, a assistente social Bernadina de Jesus Lima disse ao G1 que a obra é do Governo Federal e a Prefeitura cedeu o terreno para construção e ficou incumbida pela fiscalização, mas que em 2015, com as casas em fase de acabamento, a empresa parou a construção alegando falta de pagamento. Desde então, vândalos têm depredado e saqueado as construções.

A assistente social falou ainda que os invasores não são os contemplados pelo programa, ressaltando que os ocupantes colocaram o nome deles nas residências. Ela disse que com o registro da ocorrência, será anexado o contrato assinado pelos beneficiários e repassado ao jurídico para entrar com o pedido de reintegração de posse.

“Agora vamos anexar os contratos assinados entre o Governo do Estado e os beneficiários do projeto, e repassar ao jurídico da prefeitura para na próxima semana entrar com o pedido de reintegração de posse da área”, explica Bernardina. Devido o pequeno efetivo, os policiais foram orientados a aguardarem a ordem de reintegração de posse a ser expedida pelo juiz.

Da Redação

Por Rinaldo Moreira
G1 Ariquemes e Vale do Jamari

Escola é invadida pela 13ª vez este ano e tem 15 centrais de ar furtadas em Porto Velho

No último dia 7 de novembro, 14 centrais de ar foram levadas da mesma escola. Governo do Estado repôs centrais, que voltaram a ser furtadas dias depois. Quinze centrais de ar foram furtadas de uma escola na madrugada deste sábado (17), na Zona Leste de Porto Velho. É o segundo furto registrado na mesma instituição de ensino em menos de duas semanas e o 13º só em 2018. Na madrugada do último dia 7, segundo a Polícia Militar (PM), a escola foi invadida e 14 centrais de ar foram furtadas.

Escola é invadida pela 13ª vez este ano e tem 15 centrais de ar furtadas em Porto Velho

“O Governo repôs todas as centrais roubadas, mas os ladrões voltaram a agir”, informou a pedagoga Maria do Livramento, diretora da Escola Estadual Maria Carmosina, onde ocorreu os crimes. Segundo ela, as dependências da escola são equipadas com câmeras de vigilância, mas o sistema não funciona, porque os criminosos cortaram toda a fiação que interliga as câmeras.

A coordenadora regional de educação da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), Irani Oliveira, informou, por telefone, que a secretaria solicitou a instalação de um posto de vigilância presencial, previsto para começar a funcionar nesta próxima segunda-feira (19). A diretora da escola diz que não sabia dessa novidade, mas que a recebe com alegria.

“Além do prejuízo ao Governo, que sempre repõe os objetos roubados, a ação dos ladrões tem prejudicado os estudantes, causando interrupção nas aulas”, lamentou a diretora. “Nessa segunda-feira, vamos convidar a comunidade para uma reunião”, avisou, dizendo que a intenção é conscientizar os moradores da região sobre a importância de se cuidar da instituição que atende os filhos deles.

Durante o roubo deste sábado, quatro suspeitos chegaram a ser flagrados pela Polícia Militar, mas conseguiram fugir. Os policiais recuperaram seis condensadores de ar, uma bicicleta e um carrinho de mão.

Roubos em escolas

De acordo com dados fornecidos pela assessoria da Polícia Civil, em Porto Velho, só nos últimos 10 meses, foram registrados 46 roubos e tentativas de roubo dentro de estabelecimentos educacionais. O número não se restringe aos furtos dos objetos pertencentes às escolas, mas compreendem também aos crimes praticados contras os funcionários e frequentadores das instituições.


Da Redação

Toni Francis
G1 RO - Porto Velho

15/11/2018

Como vive Lulinha atualmente? A vida atual do filho mais famoso de Lula!

Uma curiosidade de muitas pessoas que assistem o calvário do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é saber da atual situação de seus filhos. Estão ricos ou tudo não passa de especulação de ‘coxinhas’? Vale a pena então verificar a vida atual do filho mais famoso do meliante petista, o Lulinha. 

Segundo registros oficiais da Junta Comercial do Estado de São Paulo, a remuneração de Fabio Luís Lula da Silva em 2017 na empresa Gamecorp, foi correspondente a 860 mil reais, o que perfaz uma média de aproximadamente R$ 70 mil reais mensais. 

Como vive Lulinha atualmente? A vida atual do filho mais famoso de Lula!

Esses são os valores contabilizados. Pela trajetória do rapaz é de se duvidar que contabilize tudo o que ganha. De qualquer forma, para quem antes sobrevivia com os ganhos como tratador de animais no Zoológico de São Paulo, a projeção de Lulinha é realmente um ‘fenômeno’.

Lulinha reside num luxuosíssimo apartamento em São Paulo, num dos endereços mais requintados da cidade, no bairro da Vila Nova Conceição, num imóvel de 335 metros quadrados, com quatro espaçosas suítes (uma delas equipada com jacuzzi) e terraço gourmet. O apartamento é de um amigo, coincidentemente um dos donos do famoso Sítio de Atibaia, Jonas Suassuna, que em depoimento à Polícia Federal disse que recebe 15 mil reais por mês pelo aluguel do imóvel.

Numa outra coincidência com o caso do sítio, o apartamento também sofreu uma majestosa reforma antes de ser ocupado pelo filho de Lula. Estima-se gastos de 1,6 milhão, fato incompreensível para quem aluga o bem por apenas 15 mil reais.

A Lava Jato acredita que, a exemplo do que ocorreu com o sítio de Atibaia, Suassuna apenas emprestou o nome para esconder Lulinha como o real proprietário do imóvel. Lulinha ocupa as quatro garagens a que tem direito, com carros novos e caríssimos. Enfim, leva um vida tranquila, abastada e caríssima, que se contrapõe a alegação do pai quando foi preso, de que os filhos passam dificuldades e não conseguem arrumar emprego.


Da Redação

Jornal Da Cidade

Lulinha: do caminho das antas ao apartamento de R$ 6 milhões!

Os Lula da Silva têm mesmo um jeito heterodoxo de viver. Chega a ser estranho que o chefão do PT tenha querido, algum dia, como é mesmo?, mudar o mundo… Ora, mudar para quê? A partir de certo momento, vamos admitir, esse mundo só sorriu para ele. E continua a sorrir para a sua família. […] 

Os Lula da Silva têm mesmo um jeito heterodoxo de viver. Chega a ser estranho que o chefão do PT tenha querido, algum dia, como é mesmo?, mudar o mundo… Ora, mudar para quê? A partir de certo momento, vamos admitir, esse mundo só sorriu para ele. E continua a sorrir para a sua família. Reportagem de capa da VEJA desta semana expõe a proximidade entre o agora ex-presidente da República e o empreiteiro baiano Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS, um dos presos da operação Lava Jato. Proximidade que pode fazer com que o escândalo do petrolão ainda exploda no colo do companheiro-chefe. É que Pinheiro começou a fazer algumas anotações… Leiam a reportagem da revista desta semana. Quero aqui abordar um aspecto em particular.

Lulinha: do caminho das antas ao apartamento de R$ 6 milhões. Ou: O filho que sai ao pai não degenera. Ou ainda: O sítio das delícias

A VEJA informa que Fábio Luís da Silva — vulgo “Lulinha” — mora num apartamento, numa área nobre em São Paulo, avaliado em R$ 6 milhões. É isso mesmo que vocês leram. O apartamento do filho do Primeiro Companheiro é coisa de ricaço. Mas parem de ficar imaginando maldades. O dito-cujo não está em nome do rapaz! Não! Oficialmente, o dono do imóvel é o empresário Jonas Suassuna, que é apenas… sócio de Lulinha.

Esse rapaz, note-se, é, desde sempre, um portento. Lula já o chamou de o seu “Ronaldinho”, louvando-lhe as habilidades para fazer negócios. Formado em biologia, o rapaz era monitor de Jardim Zoológico até o pai chegar à Presidência. Cansado de ficar informando ao visitante onde se escondiam as antas, ele decidiu ser empresário quando o genitor se tornou o primeiro mandatário. E o fez com uma desenvoltura assombrosa. Só a Telemar (hoje Oi) injetou R$ 15 milhões na empresa do rapaz, a Gamecorp. Nada além de uma aposta comercial?

Assim seria se assim fosse. Empresas de telefonia são concessões públicas, que dependem de decisões de governo. Aliás, é bom lembrar: Lula mudou a lei que proibia a Oi (ex-Telemar) de comprar a Brasil Telecom (que era de Daniel Dantas). A síntese: o pai de Lulinha tomou a iniciativa de alterar uma regra legal e beneficiou a empresa que havia investido no negócio do filho. Isso é apenas uma interpretação minha? Não! Isso é apenas um fato. Adiante.

Os Lula da Silva formam uma dinastia. O filho repete, em certa medida, o caminho do pai — e não é de hoje. Quando Lula era o líder da oposição, também morava, a exemplo de Lulinha, numa casa que estava muito acima de suas posses oficiais. O imóvel lhe era cedido por um advogado milionário chamado Roberto Teixeira, seu compadre. Se vocês entrarem no Google, ficarão espantados com a frequência com que Teixeira aparece ligado a, digamos assim, negócios que passam pelo petismo. Se clicarem aqui, terão acesso a um grupo de textos evidenciando, por exemplo, as suas interferências na venda da Varig.

Agora o sítio

Jonas Suassuna, o sócio de Lulinha e dono oficial do apartamento milionário em que mora o filho do Poderoso Chefão petista, é quem aparece como proprietário de um sítio em Atibaia, no interior de São Paulo, em companhia de Fernando Bittar, que é, ora vejam, o outro sócio de Lulinha. Até aí, bem…

Ocorre que, no PT, e fora dele, incluindo toda a Atibaia, a propriedade é conhecida como o “sítio do… Lula!”. É lá que ele passa os fins de semana desde que deixou a Presidência. A propriedade foi inteiramente reformada, em tempo recorde, pela empreiteira OAS, a pedido de… Lula! Os pagamentos aos operários eram feitos em dinheiro vivo. O arquiteto que cuidou de tudo se chama Igenes Irigaray Neto, indicado para o empreendimento pelo empresário José Carlos Bumlai, amigão de… Lula! O tal aparece com frequência em histórias mal contadas envolvendo o petismo — inclusive o petrolão.

A OAS, que reformou o sítio que até petistas dizem ser do ex-presidente, também foi chamada para concluir um dos edifícios da Bancoop, a cooperativa ligada ao PT, que era presidida por João Vaccari e que faliu, deixando três mil pessoas na mão. O único prédio concluído é justamente um de alto padrão, onde Lula tem um tríplex, com elevador interno. Quando explodiu o caso Rosemary Noronha, aquela amiga íntima do ex-presidente, a OAS foi mais uma vez chamada para dar uma mãozinha para João Batista, o marido oficial da tal senhora.

Assim se construiu a república petista. Os companheiros têm explicações para essas lambanças? É claro que não! Preferem ficar vomitando impropérios nas redes sociais, acusando supostas conspirações. Definitivamente, o PT superou a fase do Fiat Elba, que foi peça-chave na denúncia contra Collor. Fiat Elba? Ora, Lula, o PT e a tropa toda são profissionais nas artes em que Collor ainda é um amador.


Veja

Da Redação

Reinaldo Azevedo access

Assista à integra do depoimento de Lula no caso do sítio de Atibaia

Assista à integra do depoimento de Lula no caso do sítio de Atibaia. Ex-presidente foi interrogado na tarde desta quarta-feira pela juíza federal Gabriela Hardt. Ele é acusado de receber R$ 1 milhão em propina de empreiteiras.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi interrogado nesta quarta-feira, 14, no processo da Operação Lava Jato que investiga se ele recebeu cerca de 1 milhão de reais em propina das empreiteiras Odebrecht e OAS e do pecuarista José Carlos Bumlai por meio de reformas e obras de benfeitoria em um sítio em Atibaia (SP), frequentado por ele e sua família. Preso há pouco mais de sete meses em Curitiba para cumprir pena no processo do tríplex do Guarujá, Lula é réu pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do sítio.

Sem Moro, Lula presta depoimento em Curitiba no processo do sítio de Atibaia


Tags: depoimento lula, depoimento de lula ao vivo agora, depoimento de lula hoje youtube, depoimento do lula hoje, depoimento, interrogatório de lula, lula depoimento, lula ao vivo, lula juiza, lula hoje, lula, juiza lula, Gabriela Hardt.

Veja abaixo a íntegra do depoimento do ex-presidente à juíza federal substituta Gabriela Hardt:



Tags: depoimento lula, depoimento de lula ao vivo agora, depoimento de lula hoje youtube, depoimento do lula hoje, depoimento, interrogatório de lula, lula depoimento, lula ao vivo, lula juiza, lula hoje, lula, juiza lula, Gabriela Hardt.

Da Redação

Cacoal NEWS

14/11/2018

Sem Moro, Lula presta depoimento em Curitiba no processo do sítio de Atibaia

O ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT) será interrogado hoje (14), a partir das 14h, em Curitiba. Ele será transportado de carro da carceragem da Superintendência da Polícia Federal onde está preso, desde abril, para a sede da Justiça Federal, ambas na capital paranaense. Será a primeira vez que ele deixará a superintendência em sete meses.

Sem Moro, Lula presta depoimento em Curitiba no processo do sítio de Atibaia

Lula vai depor em um dos processos da Operação Lava Jato relativo ao sítio Santa Bárbara de Atibaia (SP). A juíza federal substituta Gabriela Hardt vai conduzir a oitiva. O ex-presidente foi condenado a 12 anos e um mês de prisão pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro em outro processo, o caso do triplex em Guarujá (SP).

Gabriela Hardt, da 13ª Vara da Justiça Federal, substitui o juiz federal Sergio Moro, que aceitou ser ministro da Justiça do governo eleito Jair Bolsonaro. De férias e informando que irá pedir exoneração do cargo, Moro é substituído por Hardt.

Caso

O ex-presidente foi denunciado por recebimento de propina das construtoras OAS e Odebrecht. Outras 12 pessoas também estão denunciadas no processo. Lula nega as acusações e diz não ser dono do sítio. De acordo com as investigações, foram feitas reformas e melhorias no patrimônio.

Pelas investigações, as reformas no sítio começaram após a compra da propriedade pelos empresários Fernando Bittar e Jonas Suassuna, amigos de Lula. No laudo elaborado pela Polícia Federal, em 2016, os peritos citam as obras que foram realizadas, entre elas a de uma cozinha avaliada em R$ 252 mil.

Assista à integra do depoimento de Lula no caso do sítio de Atibaia



A estimativa é de que tenha sido gasto um valor de cerca de R$ 1,7 milhão, somando a compra do sítio (R$ 1,1 milhão) e a reforma (R$ 544,8 mil). A defesa de Lula sustenta que a propriedade era frequentada pela família do ex-presidente, mas ele não é proprietário do sítio.O empresário José Carlos Bumlai, amigo do ex-presidente da República, e réu por lavagem de dinheiro na mesma ação penal deverá ser interrogado hoje também.

Da Redação
Por Agência Brasil  Brasília

13/11/2018

Colisão entre dois veículos deixa duas pessoas mortas na BR 364

Acidente aconteceu na tarde desta sexta-feira (9) no km 280,9, na divisa entre Presidente Médici e Cacoal. Pista ficou parcialmente interditada. Um casal morreu e outras duas pessoas ficaram feridas em um grave acidente que aconteceu na BR-364, na divisa entre Presidente Médici (RO) e Cacoal (RO), na tarde desta sexta-feira (9). Conforme informações preliminares da Polícia Rodoviária Federal (PRF), a colisão envolveu um carro de passeio e uma caminhonete. As vítimas, segundo a PRF, estavam na caminhonete.

Colisão entre dois veículos deixa duas pessoas mortas na BR 364

O acidente ocorreu no km 280,9 da via por volta das 16h. Uma equipe do Corpo de Bombeiros de Ji-Paraná (RO) se deslocou ao local para o resgate. Uma das vítimas ferida ficou presa entre as ferragens. A perícia técnica foi acionada para dar início aos trabalhos de investigação.

Equipe da PRF também seguiu ao local para fazer o controle do trânsito. Por conta do acidente, a via precisou ser parcialmente interditava, gerando um engarrafamento de cerca de 6km.

Da Redação

G1 Ji-Paraná e Região Central

Deputado Nilton Capixaba se entrega à PF e cumprirá pena de 6 anos de prisão!

Parlamentar foi condenado pelo Supremo Tribunal Federal por corrupção passiva. O deputado federal Nilton Capixaba (PTB-RO) se entregou à Polícia Federal (PF) neste final de semana em Brasília. Até o momento, o parlamentar segue detido na Superintendência da PF na capital federal.

Deputado Nilton Capixaba se entrega à PF e cumprirá pena de 6 anos de prisão!

Conforme informações da chefia de gabinete de Nilton Capixaba, ele se apresentou voluntariamente para cumprir a pena de seis anos, 10 meses e seis dias imposta pelo Supremo Tribunal Federal (STF) por corrupção passiva.

A acusação contra o deputado, é de integrar a chamada Máfia dos Sanguessugas, que desviava recursos de emendas parlamentares destinadas à compra de ambulâncias para Prefeituras do estado de Rondônia.

Na última sexta, o advogado dele pediu ao STF a permissão para que o parlamentar continue trabalhando na Câmara dos Deputados enquanto cumpre a pena em regime semiaberto. Ainda não houve decisão neste sentido.

A PF solicitou a transferência do parlamentar para dar início ao cumprimento da pena no Complexo Penitenciário da Papuda. O ministro Gilmar Mendes, relator da ação penal, ainda não respondeu ao pedido. A assessoria do deputado informou que não vai comentar sobre o caso.


Da Redação

Rondônia Notícias

Responsive Full Width Ad

Copyright © 2018 Cacoal NEWS - Notícias de Cacoal e Região | Du Pessoa Serviços Digitais (73) 9 8888 1488
Cacoal_NEWS