Menu Right

Top Social Icons

Responsive Full Width Ad

25/04/2018

Macabro! Mulher é Embalsamada viva por engano e morre durante cirurgia! "Senti que estava morrendo"

Rússia – Uma mulher de 28 anos morreu na Rússia na última semana durante um procedimento cirúrgico que, em teoria, deveria ser considerado de baixo risco. A vítima foi embalsamada viva por engano.

Ekaterina Fedyaeva recebeu formol durante a cirurgia para remoção de cisto nos ovários ao invés de uma solução salina. O formol é usado normalmente para preservar cadáveres. O caso aconteceu em um hospital em Ulyanovsk, cidade no oeste da Rússia. As informações são da agência Tass e da emissora RT.

Macabro! Mulher é Embalsamada viva por engano e morre durante cirurgia! "Senti que estava morrendo"

A sogra de Fedyaeva, Valentina Fedyaeva, disse à RT que após a operação, a moça reclamou que sentia que estava morrendo. A partir daí seus órgãos começaram a falhar e teve de ser mantida conectada a aparelhos para sobreviver. Os médicos tentaram limpar a cavidade estomacal de Ekaterina após administrarem o formol, mas já era tarde demais.

Segundo o jornal “Washington Post”, familiares e amigos descreveram Fedyaeva como sendo uma jovem“doce” e “carinhosa” que morreu cedo demais. A cirurgia desastrosa ganhou atenção internacional e foi noticiada em diversos veículos. Rashid Abdullov, ministro da Saúde, Família e Bem-estar Social da região de Ulyanovsk, classificou o caso como “uma tragédia terrível”.

“Minhas profundas condolências à família de Ekaterina Fedyaeva”, escreveu Abdullov no Twitter na semana passada. “Esta é uma tragédia terrível. Nós forneceremos toda a ajuda necessária para a família. Os responsáveis pela tragédia já foram responsabilizados e as agências investigativas continuam trabalhando.”

Ainda não está claro exatamente como o erro aconteceu, mas segundo Abdullov os médicos esqueceram de ler o rótulo da embalagem da substância química antes de administrá-la durante a operação.

As autoridades de Ulyanovsk abriram uma investigação criminal sobre o caso e, por ordem do governo, o médico-chefe do hospital em Ulyanovsk, assim como outros médicos envolvidos na operação, foram demitidos, segundo a imprensa local. Se forem acusados criminalmente e condenados, eles podem ser presos

Da Redação
Washington Post

Responsive Full Width Ad

Copyright © 2018 Cacoal NEWS | Du Pessoa Serviços Digitais (73) 9 8888 1488
Cacoal_NEWS