Cacoal_NEWS
Vermes do Sushi aumentaram 283 vezes revela estudo da Universidade de Washington | Cacoal NEWS - Notícias de Cacoal e Região

Menu Right

Top Social Icons

terça-feira, 24 de março de 2020

Vermes do Sushi aumentaram 283 vezes revela estudo da Universidade de Washington

Tem gente que não dispensa uma boa comida japonesa à base de peixe cru, porém, uma notícia pode desagradar: atualmente, o sushi possui 283 mais parasitas do que na década de 1980. A constatação foi de pesquisadores da Universidade de Washington, nos EUA, que encontraram uma concentração mais elevada do Anisakis, popularmente conhecido como verme de arenque e verme do sushi, em comparação a 40 anos atrás.

Foram analisados dados de diferentes regiões e épocas, para se chegar à concentração de Anisakis durante o passar dos anos. “Este estudo aproveita o poder de muitas pesquisas juntas para mostrar uma imagem global de mudança em um período de quase 4 décadas", diz a professora Chelsea Wood, da Escola de Ciências Aquáticas e da Pesca da Universidade de Washington. Além de compreender o impacto que isso pode causar na saúde dos humanos, o relatório pode mostrar como mamíferos marinhos também são afetados por esse aumento no número de vermes.

Vermes do sushi aumentaram 283 vezes revela estudo da Universidade de Washington

Nas pessoas que ingerem os vermes, os sintomas variam de náusea a diarreia, mas costumam cessar em poucos dias. A doença causada é a anisaquíase, mas normalmente acredita-se se tratar apenas de uma intoxicação alimentar. Felizmente, os sushimans são preparados para detectar os vermes na carne dos peixes, já que eles podem chegar a até 2 cm de comprimento e apresentar uma coloração esbranquiçada. Assim, dificilmente eles chegam até o consumidor final das iguarias japonesas.

Porém, os mamíferos marinhos não possuem a mesma sorte: eles quase sempre ingerem os peixes com Anisakis e os expelem pelas fezes, que contaminam pequenos crustáceos, como camarões. Depois, acabam voltando para os peixes que se alimentam desses animais menores, fechando o ciclo de contaminação.

Ainda não se sabe, porém, se eles causam algum impacto na saúde de mamíferos como as baleias e os golfinhos, mas dada a sua resistência, é bem provável que tenham, sim, algum efeito. Inclusive, especula-se que esse seja o motivo para que algumas espécies de mamíferos não conseguem procriar corretamente, aumentando a espécie, por conta do anisaquíase.

Também não foi possível determinar as causas para o aumento na quantidade dos vermes de arenque. Acredita-se que as mudanças climáticas, o excesso de fertilizantes e o aumento da população mamífera marinha tenham contribuído para esse cenário.


Tec Mundo

Da Redação

Responsive Full Width Ad

Copyright © 2018 Cacoal NEWS - Notícias de Cacoal e Região | Du Pessoa Serviços Digitais (73) 9 8888 1488